Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Dicas de Saúde O que é Sinusite?
17/08/2017 - 09h55m

O que é Sinusite?

As causas mais comuns de infecções sinusais incluem infecções respiratórias, alergias, pólipos nasais e baixa imunidade.

O que é Sinusite?

Fonte: http://www.minhavida.com.br

O que é Sinusite?

Sinônimos: infecção dos seios nasais

Sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. A doença pode ser secundária a uma infecção, quadro alérgico ou qualquer fator que atrapalhe a correta drenagem de secreção dos seios da face. O nome mais utilizado para esse problema é rinossinusite, pois o processo inflamatório atinge tanto a mucosa dos seios da face como a mucosa nasal.

Causas

A sinusite tanto pode ser causada por agentes infecciosos, como bactérias, fungos e vírus, quanto por fatores alérgicos. Poeira, choque térmico e cheiros ativos são listados como desencadeadores da rinopatia alérgica. Exposição a determinados agentes químicos e alterações na anatomia nasal ou dos seios da face fazem parte do outro grupo de responsáveis pela sinusite. Há ainda, casos mais raros que levam à sinusite, como a presença de um tumor.

A sinusite pode ser:

  • Aguda, quando os sintomas estão presentes por um período inferior a 12 semanas
  • Crônica, quando o inchaço e a inflamação dos seios nasais estão presentes por mais de 12 semanas.

Fatores de risco

As causas mais comuns de sinusite crônica incluem:

  • Pólipos nasais: crescimentos de tecido na área que podem bloquear as passagens nasais ou seios
  • Reações alérgicas: a sinusite pode ser causada pela exposição do paciente à substância transportada pelo ar, como ácaros e poeira, poluição, pólen, mofo, pelos de animais, fumaça de cigarro e partículas de insetos. Substâncias químicas como tinta, desinfetantes e produtos de limpeza também podem desencadear o quadro
  • Alergias: outras doenças alérgicas, como rinite e asma, podem favorecer um quadro de sinusite. A inflamação que ocorre com as alergias podem bloquear seus seios nasais
  • Desvio de septo nasal: quando a parede entre as narinas não está alinhada, pode haver restrição ou bloqueio das passagens no seio nasal
  • Trauma na face: um osso facial fraturado ou quebrado pode causar obstrução das vias nasais
  • Doenças que afetam a imunidade: complicações de fibrose cística, refluxo gastroesofágicoAIDS e outras doenças relacionadas com o sistema imunológico podem resultar na obstrução nasal
  • Infecções respiratórias: gripe, resfriado e outras doenças do trato respiratório podem inflamar e engrossar as membranas sinusais, bloqueando a drenagem de muco e criando condições favoráveis para o crescimento de bactérias. Essas infecções podem ser virais, bacterianas ou por fungos
  • Células do sistema imunológico: em certas condições de saúde, as células do sistema imunológico chamadas eosinófilos pode causar inflamação dos seios
  • Doenças que impedem que os cílios dos seios nasais se movam adequadamente, como a síndrome de Kartagener ou a síndrome dos cílios imóveis
  • Alterações de altitude (voar ou mergulhar)
  • Tabagismo
  • Infecções odontológicas que causem obstrução dos seios nasais.

Sintomas de Sinusite

A sinusite crônica e sinusite aguda têm sinais e sintomas semelhantes, mas a sinusite aguda é uma infecção temporária dos seios muitas vezes associada a um resfriado. Já a rinossinusite crônica corresponde a um processo inflamatório com duração prolongada (maior que 12 semanas) podendo ainda ser classificada em rinossinusite crônica com polipose e rinossinusite crônica sem polipose. Para o diagnóstico de rinossinusite crônica devemos ter dois ou mais dos seguintes sinais:

Obstrução nasal ou secreção nasal associados a pelo menos um dos sintomas:

  • Pressão ou dor facial
  • Redução ou perda do olfato
  • Associado a alterações tomográficas ou evidenciadas por exame de videonasofibroscopia
  • Com duração maior que 12 semanas.

Outros sinais e sintomas podem incluir:

  • Dor de ouvido
  • Dores no maxilar superior e dentes
  • Tosse, que pode ser pior durante a noite
  • Garganta inflamada
  • Mau hálito (halitose)
  • Fadiga ou irritabilidade
  • Náusea.

Os sinais e sintomas de sinusite crônica são semelhantes à sinusite aguda, exceto que eles duram mais tempo e muitas vezes causam mais fadiga. Febre não é um sinal comum de sinusite.

Convivendo/ Prognóstico

A sinusite pode ser um desafio estressante. Aqui estão algumas sugestões que podem ajudar:

Diminua o ritmo

Faça pausas entre as tarefas e evite atividades que pioram os seus sintomas. Se achar melhor, faça uma lista diária de tarefas - isso pode ajudar a evitar que você se sobrecarregue. Você pode criar recompensas para a realização de objetivos simples.

Evite seus gatilhos

Tomar medidas para reduzir a sua exposição a coisas que provocam sintomas de sinusite é uma parte fundamental do controle da doença. Manter a casa sempre limpa, evitar o acúmulo de poeira e deixar algumas atividades de lado podem ajudar a prevenir uma crise.

Controle as doenças relacionadas

Alergias e a doença do refluxo gastroesofágico podem provocar ataques de asma. Se esse for o seu caso, tente tratar esses problemas antes de tratar a asma.

Inale vapor

O ressecamento das mucosas nasais favorece o acúmulo de impurezas. Isso cria um ambiente ideal para a proliferação de micro-organismos que podem causar uma infecção e, consequentemente, levar a um quadro de sinusite. Por isso, a inalação de vapor é um método de evitar o problema, já que promove a limpeza das vias aéreas. Além disso, o hábito fluidifica o catarro acumulado, facilitando a sua eliminação.

Fique longe do cigarro

O tabagismo é altamente irritante para o nariz porque prejudica o batimento ciliar, que é o movimento de pequenos pelos que drenam as secreções da cavidade nasal. Desta maneira, a fumaça dificulta a limpeza e favorece a concentração de secreções, o que pode levar à sinusite. O fumo passivo é especialmente prejudicial para crianças, pois têm cavidades nasais menores que facilmente podem ficar congestionadas. O mesmo acontece quando respiramos um ar com muita poluição.

Beba água

A ingestão de água fluidifica todas as secreções do corpo e, por isso, é uma medida essencial para quem deseja combater a sinusite. Quando uma pessoa apresenta um quadro de sinusite, as secreções geralmente estão mais concentradas, o que dificulta sua eliminação. Beber bastante líquido ganha ainda mais importância no caso da sinusite causada por vírus e bactérias. Isso porque o processo infeccioso pode causar febre, aumentando a sudorese e a perda de água. Repor essa quantia perdida é fundamental para o bom funcionamento do organismo.

Faça lavagem nasal

A prática deveria estar na rotina mesmo daqueles que não sofrem de sinusite, pois reduz o risco de problemas respiratórios e alivia dores de cabeça. Para quem é vítima da sinusite, a lavagem nasal deve ser obrigatória. Ela deixa as secreções concentradas nos seios nasais mais líquidas, facilitando a drenagem. O especialista recomenda o uso de soro fisiológico na versão spray para evitar que vírus ou bactérias contaminem o interior do produto, o que pode acontecer com o uso da versão tradicional.

Vale lembrar que a frequência da lavagem depende da necessidade do paciente. Ela deve ser feita no mínimo três vezes por dia ou sempre que o paciente sentir dificuldade de eliminar secreções nasais.

Elimine alérgenos do ambiente

Quem sofre de alguma alergia respiratória sabe: basta entrar em contato com pó, pelo ou seja qual for o alérgeno e já começam os espirros, a coceira nos olhos e o inchaço das estruturas nasais. Esta última reação, entretanto, pode ser determinante na evolução para um quadro de sinusite. Com o nariz bloqueado, o paciente tem dificuldade de respirar e até de assoar o nariz, favorecendo o acúmulo de secreções. O especialista reforça que quem sofre de sinusite deve primeiramente tratar a rinite alérgica - e parte do tratamento consiste em afastar da rotina os fatores que causam as crises.

Proteja-se do frio

O nariz é responsável por aquecer, umedecer e filtrar o ar. A respiração costuma ficar um pouco mais difícil em temperaturas baixas, já que é necessário reter o ar por mais tempo na cavidade nasal para que seja aquecido antes de chegar aos pulmões. O problema é que a mudança brusca de um ambiente quente para um ambiente frio pode paralisar - ainda que temporariamente - o funcionamento do batimento ciliar, que faz esse trabalho de aquecimento. Com essa função suspensa, há um risco maior de acúmulo de secreções que podem levar à sinusite. Por isso, antes de sair à rua, proteja boca e nariz com um lenço ou um cachecol, evitando a entrada direta de ar gelado.

Desligue o ar condicionado

O ar condicionado consegue unir três problemas em um só equipamento. Ele retira a umidade do ar, deixa o ambiente frio e ainda pode favorecer a concentração de poluentes se não for submetido à limpeza regular. Por isso, sempre que possível, desligue o aparelho. Ele também costuma piorar quadros de rinite alérgica pelos mesmos motivos.

 

 

 

 

Ações do documento