Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Dicas de Saúde Quando é a hora de fazer um check-up médico?
06/04/2018 - 16h24m

Quando é a hora de fazer um check-up médico?

Exames preventivos podem identificar fatores de risco cardiovasculares e estágios iniciais de alguns tipos de câncer

Quando é a hora de fazer um check-up médico?

Fonte: veja.abril.com.br

Há quem ainda pense que check-up médico é sinônimo de exames muitas vezes desnecessários e onerosos. Mas ninguém discute que a maioria dos fatores de risco para as doenças cardiovasculares e os estágios iniciais do câncer são assintomáticos e precisam ser diagnosticados precocemente.

Não fossem os exames preventivos, como então identificar males inaparentes como hipertensão, glicose e colesterol elevados, alterações iniciais dos rins, disfunções da tireoide, nódulos mamários, lesões no colo uterino e câncer de próstata?

Há consenso que, seja sob o nome de check-up ou de consulta preventiva, ninguém deve deixar de realizar avaliações médicas periódicas. Crianças devem visitar anualmente o pediatra. Adolescentes devem ir ao ginecologista à partir da puberdade. Adultos devem fazer o check-up de prevenção de doenças crônicas à partir dos 30 anos, ou antes se houver alguma dúvida ou sintoma.

No Brasil, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte, seguida do câncer. Quem tem história familiar de infartos, derrames, angioplastias coronárias, cirurgias de pontes de safena ou mamária e doenças cardíacas congênitas deve estar mais atento e buscar uma avaliação cardiológica mais precoce.

Há, em geral, dois tipos de check-up: o executivo – em que se faz uma série de exames e consultas de diferentes especialidades em um só dia; e o individualizado – no qual o cardiologista ou o clínico, em uma consulta, solicita os exames pertinentes às necessidades de cada indivíduo, gênero, idade, profissão etc. 

Sejam eles mais complexos ou mais objetivos, os check-ups constituem uma importante forma de preservar a saúde e prevenir doenças. Defina a forma de check-up que mais se adapta ao seu estilo e ao seu bolso, escolha o médico ou o serviço de saúde de confiança, mas não deixe de incluí-lo em sua lista de metas a serem cumpridas neste e em todos os demais anos.

8 EXAMES

Conheça então oito exames que são importantes para um check-up inteligente e entenda melhor qual é a validade de cada um deles.

“O ideal é que haja uma lista básica de exames e outros sejam acrescentados de acordo com a idade, as condições e o histórico familiar”, diz o cardiologista César Jardim, responsável pela equipe de check-up do Hospital do Coração, na capital paulista.

1. Pressão arterial

O médico usa um aparelho para conferir a pressão do paciente.

2. Hemograma

É o exame de sangue clássico, que registra o estoque de células vermelhas e brancas.

É solicitado desde a infância. A menos que haja algum motivo, pode ser refeito anualmente.

Sinaliza o estado do sangue e do sistema imunológico, acusando problemas como infecções.

3. Colesterol e glicemia

Testes sanguíneos que avaliam a concentração de gorduras e de açúcar na circulação.

Podem ser receitados desde a infância, mas depois dos 18 anos a indicação ganha ainda mais consistência. O prazo para repeti-los varia. Depois dos 40, vale uma picada anual.

Flagram altos níveis de colesterol e triglicérides, que favorecem as placas capazes de obstruir os vasos. Já a medida da glicose acusa a propensão ao diabete.

4. Eletrocardiograma e teste ergométrico

Ambos se valem de eletrodos sobre o peito para apurar o risco cardiovascular. O primeiro é feito com o paciente deitado e o segundo, em movimento.

Podem ser solicitados ainda na casa dos 20 anos e se tornam obrigatórios após os 40 – a partir dessa idade, o repeteco deve ser anual.

Ambos inferem a presença de entupimentos nas artérias, fenômeno que precede ataques cardíacos.

5. Ecocardiograma

É o ultrassom do coração.

Pode ser receitado na casa dos 20 anos, mas também se torna crucial a partir dos 40. A partir de então, costuma ser refeito anualmente. O método permite avaliar a capacidade de contração do músculo cardíaco, bem como as válvulas desse órgão, alertando para possíveis disfunções.

6. Papanicolau

O médico raspa células do tecido que reveste o colo do útero. Esse material é analisado no microscópio.

No começo da vida sexual da mulher. Deve ser feito anualmente.

Identica alterações no colo do útero, bem como lesões pelo vírus HPV, que podem abrir caminho para o câncer.

O exame é essencial para a detecção precoce do câncer de mama, um dos mais comuns no sexo feminino.

8. Dosagem dos hormônios da tireoide

Exame de sangue que calcula hormônios como o TSH e o T4.

É solicitado sobretudo às mulheres, que sofrem mais de distúrbios na glândula. Pode ser prescrito desde a juventude, com periodicidade variável. Denuncia disfunções como o hipo e o hipertireoidismo, que repercutem no corpo inteiro.

Ações do documento